AEB Diário – quarta-feira, 04/08/2021

Legislação

1 – Legislação Federal publicada na Edição do DOU de 04.08.2021 – Seção 01:

Pág. 135 – Resolução BCB nº 122, de 02/08/2021 – Dispõe sobre o depósito de Letras Financeiras em entidade autorizada pelo Banco Central do Brasil e sobre a autorização para utilização de recursos captados por meio de Letra Financeira na composição do Patrimônio de Referência.

Consultar seção 01 DOU 04.08.2021

Notícias

AEB considera “inatingível” superavit de US$ 105 bilhões e aposta em revisão do saldo projetado pelo governo
O Ministério da Economia deverá fazer uma revisão de sua previsão para o superávit da balança comercial brasileira apresentada no início do mês de julho, apontando para um megassaldo de US$ 105,3 bilhões, cifra considerada “impossível de se alcançar” pelo presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil, José Augusto de Castro. Ele acredita que a estimativa deverá recuar para algo entre US$ 60 e US$ 70 bilhões, dentro das expectativas projetadas pela AEB em sua projeção da balança comercial para 2021, com um superavit de US$ 69,018 bilhões. [Leia a matéria completa em Comex do Brasil]

Guia de exportação para micro e pequenas empresas
2021 está sendo um ano de grande crescimento nas importações e exportações no Brasil. De acordo com a Agência Brasil, 2020 teve um total de US$209,921 bilhões em exportação. Tudo isso em meio a pandemia da Covid-19. O Brasil exportou menos, pois o consumo mundial caiu e também passou a comprar menos do exterior por causa da alta de quase 30% do dólar no ano passado. Porém, os números de 2021 já mostram projeções otimistas. Segundo a Associação de Comércio Exterior do Brasil, está previsto um aumento de 27,1% no volume de importações, um valor de US$202,051 bilhões. Para as exportações, a entidade prevê que devem chegar aos US$270,051 bilhões, superando o recorde de US$256,041 bilhões de 2011. [Leia a matéria completa em RoyalCargo]

Exportação cresce 37,5% e é recorde em julho
nfluenciadas pelo aumento dos preços de commodities como grãos, petróleo e minério, as exportações brasileiras cresceram 37,5% e alcançaram US$ 25,5 bilhões em julho, recorde da série histórica para o mês. Com importações de US$ 18,1 bilhões, 60,5% maiores, a balança comercial teve saldo positivo de US$ 7,4 bilhões no período. No acumulado do ano, o superávit somou US$ 44,12 bilhões, aumento de 48,6% sobre o mesmo intervalo do ano passado. Nas exportações, enquanto o índice de preços subiu 43,1%, o de quantum caiu 8%. Já nas importações, houve aumento tantos nos preços (15,4%) quanto nas quantidades (31%). Para o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, a redução do volume exportado em julho parece ser uma “flutuação natural” e, por ora, não aponta tendência de queda das quantidades. “A demanda continua aquecida”, afirmou citando a previsão de crescimento para a economia mundial do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 6% para 2021. [Leia a matéria completa em Valor Economico]