AEB Diário – segunda-feira, 14/06/2021

Legislação

1 – Legislação Federal publicada na Edição do DOU de 14.06.2021 – Seção 01:

Não foi encontrada legislação de comercio exterior a ser destacada nesta edição.

Consultar seção 01 DOU 14.06.2021

Notícias

Alta no frete e falta de componentes afetam produção e geram aumento na importação de manufaturados
A forte alta  no preço e a falta de contêineres para embarques têm tirado o sono dos empresários brasileiros que atuam no transporte internacional de cargas e também dos importadores e exportadores. O custo para trazer ao Brasil um contêiner de 40 pés (12 metros) da Ásia para a América do Sul era de US$ 2 mil antes da pandemia de Covid-19. Hoje supera US$ 8 mil e em alguns casos podem chegar a US$ 10 mil. No caminho inverso, a exportação de um contêiner do Brasil para um país asiático saltou de US$ 1,5 mil, em média, para US$ 4 mil a US$ 5 mil. (…) Ao comentar o assunto, o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, lembrou que em março e abril do ano passado, com o avanço da pandemia, o Brasil começou a ser afetado pela queda de produção em suas indústrias e isso fez com que fossem consumidos os estoques existentes no país, a exemplo do que aconteceu em praticamente todo o mundo, gerando um desequilíbrio entre oferta e demanda mundiais, especialmente de produtos manufaturados. [Leia a matéria completa em Comex do Brasil]

Perspectivas para o comércio exterior
A previsão da Maersk, uma das maiores empresas de logística do Brasil, de que, ainda em 2021, haverá um aumento de 5% no volume das operações em cargas conteinerizadas chegou num momento em que o pessimismo começava a tomar conta do setor, diante da expectativa de que a participação do Brasil possa vir a cair abaixo de 1% na corrente de comércio mundial. Como se sabe, no último relatório da Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2019, o Brasil respondeu por apenas 1,2% das exportações, ocupando a 27ª posição global, e 1% das importações, o que o deixou na 28ª posição. [Leia a matéria completa em Diário do Comércio]

Alerta na economia brasileira: inflação perto de 7% pressiona a taxa Selic
Na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) desta semana, marcada para amanhã e quarta-feira, o Banco Central deverá elevar a taxa básica da economia (Selic), dos atuais 3,5% para 4,25%, conforme as previsões do mercado e a própria sinalização do BC. Contudo, com a disparada recente do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subindo 0,83% em maio — a maior taxa para o mês em 25 anos — as previsões recentes admitem que a inflação oficial poderá fechar o ano perto de 7%. Analistas ouvidos pelo Correio apostam que o BC ficará mais rigoroso e não interromperá o ciclo de alta dos juros, iniciado em março, como vinha prometendo. [Leia a matéria completa em Correio Braziliense]