AEB Diário – segunda-feira, 21/06/2021

Legislação

1 – Legislação Federal publicada na Edição do DOU de 21.06.2021 – Seção 01:

Pág. 07 –  Circular Secretaria de Comércio Exterior nº 43, de 18/06/2021 –  1. Iniciar investigação para averiguar a existência de subsídios sujeitos a medidas compensatórias concedidos aos produtores da China que exportaram para o Brasil produtos de laminados de alumínio, comumente classificadas nos subitens 7606.11.90, 7606.12.90, 7606.91.00, 7606.92.00, 7607.11.90 e 7607.19.90 da Nomenclatura Comum do MERCOSUL – NCM, e de dano à indústria doméstica decorrente de tal prática, objeto do Processo SECEX 52272.005116/2020-91.

Consultar seção 01 DOU 21.06.2021

Notícias

“O Brasil precisa ter um olhar mais atualizado e atento para a África”, diz CEO do Standard Bank
A África é a última grande fronteira de crescimento no mundo, com potencial para ser a “nova China” e o  Brasil precisa ter um olhar mais atento para a África e para  ser bem sucedido numa política de aproximação e dinamização de negócios com o continente africano, o país tem que entender a agenda africana. Se o Brasil não buscar meios de participar mais ativamente desse gigantesco mercado, outros o farão. A avaliação foi feita pela CEO do Standard Bank no Brasil, Natália Dias, em entrevista exclusiva ao Comexdobrasil.com. [Leia a matéria completa em Comex do Brasil]

Superávit comercial com a China tem forte alta e país responde por 70% de todo o saldo brasileiro em 2021
Nos cinco primeiros meses do ano o Brasil acumula um superávit de US$  27,1 bilhões e 70% desse total, equivalentes a US 19,098 bilhões foram obtidos nas trocas comerciais com a China, maior parceiro comercial do País e principal fonte de saldo positivo entre os meses de janeiro e maio. A China foi também o destino final dos três produtos que lideram a pauta exportadora brasileira, soja, minério de ferro e petróleo. [Leia a matéria completa em Comex do Brasil]

Repressão da mineração de criptomoedas na China derruba bitcoin
O bitcoin despencou mais de 10% nesta segunda-feira (21/6), depois que a China ampliou a repressão da mineração de criptomoedas, ao proibir esta atividade em uma província do sudoeste do país. [Leia a matéria completa em Correio Braziliense]