AEB Diário – terça-feira, 08/06/2021

Legislação

1 – Legislação Federal publicada na Edição do DOU de 08.06.2021 – Seção 01:

Pág. 19 – Despacho Decisório Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais nº 2.049, de 07/06/2021 019 e da Lei no 9.784, de 29 de janeiro de 1999, resolve: Indeferir o recurso administrativo interposto pela Associação Brasileira do Alumínio (ABAL), objeto do processo SEI/ME 19972.100766/2021-67, em face da Circular SECEX nº 25, de 12 de abril de 2021, publicada no Diário Oficial da União em 13 de abril de 2021, que decidiu pelo não início de avaliação de interesse público em relação ao direito antidumping em vigor aplicado sobre as importações brasileiras de magnésio metálico, comumente classificadas nos subitens 8104.11.00 e 8104.19.00 da NCM, originárias da China, tendo como fundamento e motivação o disposto na Nota Técnica no 24/2021/CGIP/SDCOM/SECEX da Subsecretaria de Defesa Comercial e Interesse Público (documento SEI nº 15827930).

Consultar seção 01 DOU 08.06.2021

Legislação

Abertura comercial “irrestrita” sem redução do “Custo Brasil” seria um desastre, diz Abicalçados
O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira se posicionou contra uma abertura “irrestrita” do comércio exterior brasileiro, por considerar que a concorrência com os players mundiais, e os asiáticos em especial, seria “um desastre” e defendeu a redução proporcional e concomitante do chamado “Custo Brasil” para que a abertura possa vir a ser efetivada. Ao participar nesta segunda-feira (7) de um encontro com o titular da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), Carlos da Costa, e com o secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura  da pasta Gustavo Ene, Heitor Ferreira declarou que “não somos contra o livre mercado, pelo contrário. A questão é que uma abertura irrestrita, nesse momento em que ainda enfrentamos elevados custos de produção no comparativo com os nossos principais concorrentes mundiais, especialmente os asiáticos, seria um desastre”. [Leia a matéria completa em Comex do Brasil]

Superávit comercial sobe 161% e chega a US$ 2,43 bilhões na primeira semana de junho
O Brasil abriu o mês de junho com alta de 161,6% no superávit da balança comercial, que chegou a US$ 2,43 bilhões na primeira semana do mês. O resultado foi impulsionado pelo aumento de 94,1% nas exportações, que atingiram US$ 4,85 bilhões, enquanto as importações subiram 54,5% e totalizaram US$ 2,42 bilhões. Assim, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) alcançou US$ 7,27 bilhões, subindo 78,8% pela média diária, na comparação com junho de 2020. [Leia a matéria completa em Informe Paraná Cooperativo]

Os pulmões da economia brasileira estão irreversivelmente fibrosados

Causou rebuliço a capa da mais recente edição da revista The Economist. Depois de mostrar um cristo foguete nos anos 2000 e um Cristo como avião desgovernado nos anos 2010, o semanário britânico agora nos brindou com um Cristo asfixiado, balão de oxigênio ao lado, ainda que de pé. Talvez tivesse sido mais impactante um Cristo pronado, intubado, sem qualquer perspectiva de sair da UTI. De toda maneira, independentemente do que se pense das capas da The Economist, a reportagem especial esmiuça algumas de nossas mazelas, mas não todas. E, aponta corretamente para a última década como aquela em que o Brasil adoeceu para jamais se recuperar plenamente. [Leia a matéria completa em El País]