CÂMARA DE LOGÍSTICA INTEGRADA (CLI)

A Câmara de Logística Integrada (CLI) foi criada em 16 de novembro de 2000, mediante protocolo firmado pelo Presidente da AEB, Benedicto Fonseca Moreira, e o então Secretário-Executivo da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), Roberto Giannetti da Fonseca, visando ao aprimoramento contínuo da logística como item determinante da competitividade dos produtos nacionais frente ao comércio internacional.

As adesões da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em 2009, visaram a maior integração entre as ações públicas e privadas rumo à excelência logística para o nosso comércio exterior.

Pelo menos uma vez por mês a CLI se reúne para acompanhar e avaliar as questões relativas à logística, no intuito de serem alcançados resultados positivos que reduzam as barreiras existentes nos fluxos de produtos e serviços. Busca-se priorizar o tema dos corredores de exportação e a integração dos modais existentes em cada área estudada.

A CLI também é responsável pela coordenação dos representantes indicados pela AEB no bloco de usuários exportadores/importadores do Conselho de Autoridades Portuárias (CAP), constituídos em cada porto público. Esse trabalho objetiva valorizar a participação nos CAP’s, gerando fluxos de informações que permitem acompanhar questões prioritárias e atinentes ao desempenho de cada gestão portuária.

Entre suas principais atividades, a Coordenação da CLI, representando a AEB, participa da Comissão Nacional Permanente Portuária (CNPP), conforme Portaria nº. 1.093, de 10/09/2003, do Ministro do Trabalho e Emprego, bem como do Fórum Nacional Permanente para Qualificação do Trabalhador Portuário, criado pela Portaria SEP nº 250, de 29 de novembro de 2013, onde se busca cuidar da questão da mão-de-obra portuária, dentre outros, para promover a consolidação do ordenamento das relações entre trabalhadores e empregadores, usuários dos serviços portuários.

A CLI vem tratando dos problemas da logística no Brasil, especialmente a fragilidade dos “corredores de exportação”, não integrados e de custos extremamente elevados, decorrente de muitos anos sem planejamento e investimentos. O trabalho da CLI tem buscado a integração dos diversos agentes da cadeia logística de comércio internacional, propugnando pela simplificação normativa e administrativa, pela desoneração e por investimentos que permitam a expansão da competitividade do comércio exterior brasileiro. Neste sentido, a CLI constitui grupos de trabalho sobre questões emergentes, como os referentes ao transporte marítimo, fluvial, rodoviário, ferroviário e aéreo, na formatação de corredores de exportação e importação, e no combate aos custos logísticos e à burocracia, elementos fundamentais do chamado “Custo Brasil”.

A CLI apóia e participa do esforço dos órgãos públicos e privados, na busca da simplificação administrativa, redução da burocracia na chegada e saída das embarcações, na informatização e integração de sistemas, atendendo ao Acordo de Facilitação do Comércio e à busca constante de redução do Custo Brasil.

Sob a coordenação da CLI/AEB, são realizadas reuniões plenas e restritas, visando a avaliar a evolução da logística de comércio exterior, avaliando e integrando inclusive ações da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ e da Secretaria-Executiva da Câmara de Comércio Exterior – CAMEX. As reuniões plenas da CLI são abertas aos exportadores e importadores de mercadorias e serviços, bem como às empresas de apoio e logística de comércio exterior.

No seu desempenho funcional, via CLI, a AEB tem convênios assinados com portos estrangeiros, como os portos de Houston e de Virgínia, nos Estados Unidos, e os de Sines e Algarve, em Portugal, com o objetivo de incentivar o fluxo de mercadorias e investimentos relacionados com o comércio exterior brasileiro.

A Coordenação da CLI participa também da Comissão Portos, da Aliança Procomex, do Conselho Empresarial de Logística e Transportes da ACRJ; do Grupo de Análise de Performance Aduaneira – GAP Aduaneira, dentre outras, e mantém contatos frequentes com as representações empresariais regionais interessadas no melhor desempenho dos fluxos de comércio exterior do País.

Por fim, a Câmara de Logística Integrada – CLI participa ainda junto à Receita Federal do Brasil, ao Ministério da Infraestrutura, às Agências Nacionais de Transporte Terrestre (ANTT) e de Transportes Aquaviários (ANTAQ), de grupos de estudos locais, envolvendo órgãos privados e públicos, relacionados aos estudos de logística de comércio exterior.