Tel.: 55-21-2544-0048 - Fax: 55-21-2544-0577 - E-mail: aebbras@aeb.org.br
Página Inicial
 
 
área do associado
E-mail 
Senha 
Acessar   |    Recuperar Senha  
 
 

25/07/2018 - AEB
AEB - Revisão da Balança Comercial 2018

 

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2018

 

EXPORTAÇÃO

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$  BILHÕES

US$  BILHÕES

2018 / 2017

 

 

 

 

BÁSICOS

106,190

101,063

5,1

 

 

 

 

INDUSTRIALIZADOS

113,255

111,687

1,4

- Semimanufaturados

31,167

31,434

-0,8

- Manufaturados

82,088

80,253

2,3

 

 

 

 

CONSUMO DE BORDO

5,000

5,000

0,0

 

 

 

 

 

TOTAL

224,445

217,750

+3,1

 

                                                                                                                                                                                                          

IMPORTAÇÃO

 

 

 

 

BENS DE CAPITAL

20,606

16,135

27,7

 

 

 

 

BENS INTERMEDIÁRIOS

100,983

93,664

7,8

 

 

 

 

BENS DE CONSUMO

25,612

23,266

10,1

- Não Duráveis/Semiduráveis

19,601

18,348

6,8

- Duráveis

6,011

4,918

22,2

 

 

 

 

COMBUSTÍVEIS  E LUBRIFICANTES

                    20,829

                     17,575

                    18,5              

- Básicos

9,912

9,494

4,4

- Elaborados

10,917

8,081

35,1

 

 

 

 

BENS NÃO ESPECIFICADOS

0,100

0,109

-8,2

 

 

 

 

TOTAL

168,130

150,749

11,5

 

 

 

 

SALDO

56,315

67,001

-15,9

 

 

 

CENÁRIOS, PROJEÇÕES,  DADOS  E  PARTICULARIDADES  DO  COMÉRCIO  EXTERIOR  BRASILEIRO  EM  2018

 

- A presente revisão das previsões para o comércio exterior em 2018 está sujeita a mudanças bruscas decorrente de impactos gerados pela guerra comercial envolvendo EUA, China e União Européia, pela crise nuclear EUA x Irã, fatores com reflexos nas cotações e quantum das commodities, além da grave crise econômica, comercial e cambial Argentina, do reduzido crescimento do PIB brasileiro e da desvalorização do real;

 

- os dados projetados para a balança comercial em 2018 mostram exportações de US$224,445 bilhões com aumento de 3,1% em relação a 2017, importações de US$168,130 bilhões com  expansão de 11,5%, e superávit comercial de US$56,315 bilhões com queda de 15,9%;

 

- mesmo sendo menor, em 2018 o Brasil terá robusto superávit  projetado em US$56,315 bilhões, que pode ser comemorado, mas sem esquecer que continuará sendo obtido com baixos volumes de exportação e importação. Superávit comercial não é fator gerador de atividade econômica, que é proporcionada pela corrente de comércio;

 

- a corrente de comércio, projetada em US$392,575 bilhões para 2018, será maior que os US$368,499 bilhões apurados em 2017, mas ainda distante do recorde de US$482,292 bilhões obtido no ano de 2011;

 

- não obstante a recessão e o baixo crescimento econômico brasileiro nos últimos anos, o crescimento projetado de 3,1% nas exportações ocorrerá graças à forte elevação das cotações de petróleo no 1º semestre, à expressiva quebra da safra de soja na Argentina, ao aumento dos preços de óleos combustíveis e às vendas de plataformas de petróleo. Em contrapartida, o crescimento do PIB brasileiro, re-estimado para 1,5%, será responsável pela expansão de 11,5% das importações;

 

- pelo quinto ano consecutivo, as exportações brasileiras de manufaturados permanecerão estagnadas em patamar inferior aos valores de 2007, especialmente após a crise argentina deflagrada no final do 1º semestre;

 

- e o cenário para 2019 não é animador, pois a Argentina, principal destino destas exportações terá baixo crescimento econômica e/ou recessão, elevada desvalorização cambial superior a 50%, déficit comercial, desemprego, etc. que reduzirão suas importações, afetando diretamente as exportações brasileiras de manufaturados;

 

- em 2017, a Argentina recuperou o posto de maior país importador de manufaturados brasileiros, perdido em 2014 para os Estados Unidos. Porém, a crise naquele país reverterá o cenário positivo do primeiro semestre de 2018, voltando à segunda posição;

 

- em 2018, a concentração nos três principais produtos de exportação crescerá ainda mais, com soja, petróleo e minério de ferro atingindo o recorde de 30,5%, consolidando a elevada dependência das commodities nas exportações e no superávit comercial, reforçando, com números, a imperiosa necessidade de reformas estruturais para reduzir o Custo-Brasil e gerar competitividade nas exportações de manufaturados;

 

- a soja, pelo quarto ano consecutivo, será o principal produto de exportação do Brasil, agora com o petróleo na segunda posição e minério de ferro em terceiro;

 

- até a 3ª semana de julho foram embarcadas 54 milhões de toneladas de soja em grão, representando 76% das 71 milhões de toneladas previstas para embarque em 2018;

 

- entre os 10 principais produtos exportados pelo Brasil, 9 (nove) são commodities e apenas 1 (um), automóveis, é manufaturado;  

                                  

- conforme o quadro abaixo, as cotações médias efetivas das principais commodities projetam frágil estabilidade no 2º semestre, pois podem ser impactadas pela guerra comercial, redução do crescimento econômico mundial ou simples especulação:

 

PRODUTOS

COTAÇÕES  MÉDIAS  EM  2018 – US$/ton

1º Semestre

2º Semestre

Var % Sem. 2º / 1º 

Minério de ferro

49,95

50,00

0,1

Petróleo

411,25

420,00

2,1

Soja em grão

398,33

395,00

-0,1

Carne de frango

1.529,73

1.500,00

-1,9

Carne suína

2.086,68

1.900,00

-8,9

Carne bovina

3.990,46

4.150,00

4,0

Açúcar bruto

318,29

280,00

-12,0

Açúcar refinado

365,43

335,00

-8,3

Café

2.567,77

2.400,00

-6,5

Celulose

544,63

570,00

4,6

Óleos combustíveis

443,09

430,00

-2,9

 

- a projeção da taxa cambial para o final de 2018 será diretamente influenciada pelo nível dos juros nos Estados Unidos e pelo resultado das eleições presidenciais no Brasil, podendo oscilar entre o mínimo de R$3,50 e R$4,00, com impactos limitados e localizados nas exportações e importações;

 

- o elevado "Custo-Brasil" mantém o Brasil excluído das cadeias globais de valor e, indiretamente, provoca seu isolamento comercial, resultando em baixo volume de exportações de produtos manufaturados e perda de empregos qualificados;

 

- os dados projetados de exportação e importação para 2018, sinalizam que o Brasil continuará ocupando, respectivamente, a 25ª posição no ranking de exportação e 27ª na importação, além de manter a estagnada participação 1,1% nas exportações mundiais.

 

 

 

VARIAÇÕES  PROJETADAS  NOS  PRINCIPAIS  PRODUTOS DE EXPORTAÇÃO

 

BÁSICOS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018 / 2017

Soja em grão

$18,432 + 25 t x $395 = 28,307

25,718

+10,1

Minério de ferro

$8,991 + 205 t x $50 =19,241

19,199

+0,2

Petróleo em bruto

$10,072 + 26 t x $420 = 20,992

16,625

+26,3

Carne de frango

$2,627 + 1,6 t x $1500 = 5,027

6,428

-21,8

Café em grão

$1,953 + 0,8 t x $2,400 = 3,873

4,600

-15,8

Farelo de soja

$3,338 + 6 t x $380 = 5,618

4,973

+13,0

Carne bovina

$2,239 + 0,7 t x $4150 = 5,144

5,070

+1,5

Milho em grão

$830 + 15 t x $165 = 3,305

4,567

-27,6

Minério de cobre

$1,236 + 0,6 t x $2200 = 2,556

2,485

+2,8

Carne suína

$496 + 0,25 t x $1850 = 0,958

1,465

-34,6

Fumo em folhas

$817 + 0,35 t x $4300 = 2,322

2,000

+16,1

Algodão em bruto

$405 + 0,9 t x $1800 = 2,025

1,357

+49,2

Miudezas de animais

212 + 218 = 0,430

0,473

-9,1

Carnes salgadas de frango

104 + 106 = 0,210

0,357

-41,2

Tripas buchos animais

187 + 193 = 0,380

0,377

+0,8

Minério de manganês

192 + 208 = 0,400

0,366

+9,3

Pimenta em grão

98 + 102 = 0,200

0,274

-27,0

Minério de alumínio

113 + 117 = 0,230

0,238

-3,4

Bovinos vivos

267 + 340 = 0,607

0,276

+119,9

Arroz em grão

249 + 186 = 0,435

0,244

+78,3

Amendoim 

105 + 145 = 0,250

0,195

+28,2

Demais produtos

1,780 + 1,900 = 3,680

3,776

-2,5

TOTAL

54,743 + 51,447 = 106,190

101,063

+5,1

 *Exportado no 1º semestre + projeção quantidade x preços médios no 2º semestre = Previsão total 2018

 

 

SEMIMANUFATURADOS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018 / 2017

Açúcar em bruto

$2,538 + 10,5 t x $280 = 5,478

9,042

-39,4

Celulose

$4,336 + 7,8 t x $550 = 8,626

6,345

+35,9

Semimanufat. ferro e aço

$2,339 + 5 t x $540 = 5,039

4,175

+20,7

Ferro-ligas

$1,445 + 0,27 t x $6200 = 3,119

2,465

+26,5

Couros e peles

$795 + 0,23 t x $3300 =1,554

1,895

-18,0

Ouro em formas

$895 + 0,024 t x $40000 =1,855

2,006

-7,5

Óleo de soja em bruto

$516 + 0,55 t x $700 = 0,901

0,913

-1,3

Ferro fundido / gusa

$330 + 1 t x $380 = 0,710

0,765

-7,2

Madeira serrada

$356 + 0,85 t x $480 = 0,764

0,665

+14,9

Alumínio em bruto

$159 + 0,08 t x $2000 = 0,319

0,393

-18,8

Borracha sintética

79 + 82 =0,161

0,210

-23,3

Zinco em bruto

134 + 136 = 0,270

0,219

+23,3

Manteiga e gordura cacau

58 + 60 = 0,118

0,176

-33,0

Estanho em bruto

91 + 98 = 0,189

0,171

+10,5

Catodos de cobre

90 + 92 = 0,182

0,270

-32,6

Madeira em estilhas

65 + 72 = 0,137

0,144

-4,9

Ceras vegetais

56 + 58 = 0,114

0,102

+11,8

Demais produtos

841 + 790 = 1,631

1,478

+10,4

TOTAL

15,123 + 16,044 = 31,167

31,434

-0,8

*Exportado no 1º semestre + projeção quantidade x preços médios no 2º semestre = Previsão total 2018

 

 

VARIAÇÕES  PROJETADAS  NOS  PRINCIPAIS  PRODUTOS DE EXPORTAÇÃO

 

 

MANUFATURADOS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018/2017

Automóveis

3035 + 2500 = 5,535

6,670

-17,0

Aviões

1822 + 2040 = 3,862

3,517

+9,8

Veículos de carga

1306 + 1140 = 2,446

2,826

-13,4

Óxidos hidróxidos alumínio

$1,417 + 4 t x $370 = 2,897

2,769

+4,6

Açúcar refinado

$671 + 1,9 t x $335 = 1,307

2,365

-44,7

Autopeças

1139 + 1020 = 2,159

2,144

+0,7

Laminados planos

$928 + 1,5 t x $750 = 2,053

2,205

-6,9

Máquinas de terraplanagem

1361 + 1320 = 2,681

2,262

+18,5

Polímeros de etileno

$853 + 0,62 t x $1270 = 1,640

1,879

-12,7

Óleos combustíveis

$1261 + 2,9 t x $430 = 2,508

1,422

+76,4

Motores e partes p/ veículos

1059 + 1080 = 2,139

1,772

+20,7

Tubos flexíveis ferro e aço

414 + 420 = 0,834

1,083

-23,0

Pneumáticos

578 + 570 = 1,148

1,266

-9,3

Tratores

774 + 630 = 1,404

1,413

-0,6

Motores/geradores elétricos

613 + 720 = 1,333

1,221

+9,2

Bombas e compressores

547 + 480 = 1,027

1,039

-1,1

Calçados

487 + 540 = 1,027

1,090

-5,8

Suco laranja não-congelado

$584 + 0,8 t x $680 = 1,128

1,100

+2,5

Papel e cartão

$509 + 0,6 t x $870 = 1,031

1,021

+1,0

Chassis com motor

480 + 460 = 0,940

1,074

-12,5

Medicamentos

414 + 390 = 0,804

0,984

-18,3

Hidrocarbonetos

262 + 260 =0,522

0,789

-33,8

Obras mármore e granito

292 + 320 =0,612

0,691

-11,4

Motores e turbinas para avião

322 + 315 = 0,637

0,332

+91,9

Fio máquina e barras ferro

$458 + 0,8 t x $700 = 1,018

0,789

+29,0

Torneiras, válvulas e partes

378 + 400 = 0,778

0,857

-9,2

Máquinas aparelhos agrícola

349 + 340 = 0,689

0,709

-2,8

Suco laranja congelado

$525 +0,35 t x $1900 = 1,190

0,840

+41,7

Rolamentos e engrenagens

322 + 348 = 0,670

0,639

+4,9

Tubos de ferro fundido

482 + 532 = 1,014

0,697

+45,5

Café solúvel

$245 + 0,035 t x $7000 = 0,490

0,584

-16,1

Etanol

$330 + 0,6 t x $700 = 0,750

0,807

-7,1

Móveis e suas partes

314 + 350 = 0,664

0,622

+6,7

Madeira compensada

387 + 402 = 0,789

0,621

+27,0

Plataforma de petróleo

1535 + 1250 = 2,785

0,904

+208,1

Carne bovina em conserva

$254 + 0,045 t x $5500 = 0,501

0,494

+1,4

Madeira perfilada

243 + 252 = 0,495

0,482

+2,7

Instrum. aparelhos de medida

273 + 252 = 0,525

0,484

+8,5

Compostos nitrogenados

248 + 252 = 0,500

0,503

-0,6

Pisos revestimentos cerâmicos

258 + 200 = 0,458

0,344

+33,1

Partes motores e turbina avião

429 + 435 = 0,864

0,760

+13,7

Óleos essenciais

265 + 210 = 0,475

0,431

+10,2

Demais produtos

12,658 + 13,101 =25,759

25,752

0,0

TOTAL

41,081 + 41,007 = 82,088

80,253

+2,3

*Exportado no 1º semestre + projeção quantidade x preços médios no 2º semestre = Previsão total 2018

 

 

VARIAÇÕES  PROJETADAS  NOS  PRINCIPAIS  PRODUTOS DE  IMPORTAÇÃO

 

BENS DE CAPITAL

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018 / 2017

Bens de capital

9,591 + 7,686 = 17,277

13,398

29,0

Equipamentos transporte industrial

1,565 + 1,764 = 3,329

2,737

21,6

TOTAL

11,156 + 9,450 = 20,606 

16,135

27,7

                                               *Realizado no 1º semestre + previsto no 2º semestre = Projeção total 2018

 

 

BENS  INTERMEDIÁRIOS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018 / 2017

Insumos industriais elaborados

29,443 + 30,177 = 59,620

55,889

6,7

Insumos industriais básicos

1,516 + 1,512 = 3,028

2,954

2,5

Peças e acessórios para BK

9,924 + 10,458 =20,382

18,218

11,9

Peças p/ equipamentos transporte

6,964 + 7,308 = 14,272

12,901

10,6

Alimentos e bebidas básicos

0,987 + 1,008 = 1,995

1,978

0,9

Alimentos e bebidas elaborados

0,741 + 0,945 = 1,686

1,723

-2,1

TOTAL

49,575 + 51,408 = 100,983

93,664

7,8

                                               *Realizado no 1º semestre + previsto no 2º semestre = Projeção total 2018

 

 

BENS  DE  CONSUMO  NÃO DURÁVEIS  E  SEMIDURÁVEIS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$ BILHÕES*

US$ BILHÕES

2018 / 2017

Bens de consumo não duráveis

4,107 + 4,032 = 8,139

7,716

5,5

Bens de consumo semiduráveis

2,628 + 2,772 = 5,400

4,702

14,8

Alimentos e bebidas elaborados

1,990 + 2,142 = 4,132

4,038

2,3

Alimentos e bebidas básicos

0,922 + 1,008 = 1,930

1,892

2,0

TOTAL

9,647 + 9,954 = 19,601

18,348

6,8

                                               *Realizado no 1º semestre + previsto no 2º semestre = Projeção total 2018

 

 

BENS  DE  CONSUMO  DURÁVEIS

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$  BILHÕES*

US$  BILHÕES

2018 / 2017

Automóveis de passageiros

2,092 + 1,953 = 4,045

2,954

36,9

Bens de consumo duráveis

1,021 + 0,945 = 1,966

1,964

0,1

TOTAL

3,113 + 2,898 = 6,011

4,918

22,2

                                               *Realizado no 1º semestre + previsto no 2º semestre = Projeção total 2018

 

 

COMBUSTÍVEIS  E  LUBRIFICANTES

PRODUTOS

2018

2017

VARIAÇÃO %

US$  BILHÕES*

US$  BILHÕES

2018 / 2017

Básicos

4,746 + 5,166 = 9,912

9,494

4,4

Elaborados

5,499 + 5,418 = 10,917

8,081

35,1

TOTAL

10,245 + 10,584 = 20,829

17,575

18,5

                                               *Realizado no 1º semestre + previsto no 2º semestre = Projeção total 2018


Outros Artigos de Notícias em Destaque
 
10/07/2018
AEB e CNC lançam o ENAEX 2018
Cerca de 150 empresários participaram do evento no Rio de Janeiro
 
05/06/2018
AEB disponibiliza Manual de Compliance e Conduta Ética
O Manual de Compliance e Conduta Ética da AEB, ao tempo em que reforça compromisso de obediência às leis e aos princípios morais e éticos
 
19/04/2018
Abraão Miguel Árabe Neto foi o convidado da última Reunião de Diretoria da AEB
O secretário do MDIC proferiu apresentação "Perspectivas do comércio exterior brasileiro e mundial"

ver todas
 
voltar     |     topo     |     imprimir
Av. General Justo, 335, 5º andar – Centro
20021-130 – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: 55-21-2544-0048/2544-0180/2544-0313/2544-0434
Fax: 55-21-2544-0577
E-mail: aebbras@aeb.org.br
  Copyright © 2011 - Associação de Comércio Exterior do Brasil - AEB